Ex-estudante de engenharia é preso ao entregar medicamento abortivo para mulher

A Polícia Civil do Tocantins prendeu na tarde desta sexta-feira (02), em Araguaína, um ex-estudante de engenharia de alimentos, de 36 anos, e apreendeu mais de meio quilo de cocaína de alto teor de pureza.

De acordo com o delegado José Anchieta de Menezes Filho, o traficante foi abordado no centro da cidade no momento em que entregava a uma mulher um medicamento abortivo que tem a venda proibida no Brasil por não possuir registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Somente a comercialização ilegal do remédio pode gerar uma condenação de 10 a 15 anos de prisão”, esclareceu o delegado.

Em outro ponto da cidade, os policiais civis localizaram na residência do suspeito a cocaína, balança de precisão, insumos para mistura e apetrechos para embalar o entorpecente, além de R$ 1,4 mil em espécie.

Segundo o delegado Alexander Pereira da Costa, o traficante já havia sido preso em outra ocasião por tráfico de drogas e um mini-laboratório de refino de cocaína na residência dele foi desmanchado pela Polícia Civil. 

Os vários produtos químicos que apreendemos em sua residência demonstram que o suspeito costumava refinar a cocaína para que a droga rendesse mais, com o valor total do entorpecente podendo, assim, chegar aos R$ 50 mil. Os conhecimentos técnicos que o investigado possui permitem que ele manuseie a cocaína com outros produtos, aumentando em até três vezes os seus lucros com o tráfico“, frisou o delegado Alexander.

Após ser preso, o traficante foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e venda ilegal de medicamento proibido. Em seguida, ele foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA).  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *